Zoologia dos Vertebrados Amniotas: Répteis

Atualizado: Jul 14

O ovo amniótico é uma novidade que aparece nesse grupo, tendo como características:

•3 membranas que garantem proteção contra dessecação •Fecundação interna, desenvolvimento direto (ovo é maior – muito vitelo) •Líquido amniótico; •Perda da dependência da água;


A classe reptilia, que comporta os répteis, apresenta animais ectotérmicos (isto é, conseguem reter calor mas não são capazes de produzir, o que limita sua atividade metabólica), tetrápodes e, como dito anteriormente, amniotas.


Testudines (quelônios): tartaruga, cagado e jabuti. São animais que constituem o grupo “testudinomorpha” que apresentam o crânio sem abertura temporal, totalmente ossificado (anapsida);


Crocodilianos: apresentam o crânio com 2 aberturas (diapsida), assim como as aves (constituindo assim o grupo “arcosauromorpha”);


Leptosaura (ordem squamata): amphisbaenia, sauria e serpente. São animais com o crânio com 2 aberturas (diapsida – grupo “lepdosauromorpha”).


A total conquista do ambiente é marcada por esse grupo, tendo em vista que sua reprodução é independente da água e eles não realizam evapotranspiração.


TEGUMENTO Epiderme seca e impermeável (permitindo que o animal explore novos ambientes terrestres e retenha calor). Ausência de glândulas mucosas na pele, aumento da espessura da epiderme, presença de glândulas submandibulares e cloacais (maioria tem – produz feromônios), escamas epidérmicas (queratina) e dérmicas (ósseas, apenas quelônios apresentam). As escamas epidérmicas em squamata sofrem muda/ecdise, enquanto que nos outros há adição de anéis de crescimento. Escamas dérmicas se fundem com as vértebras torácicas e costelas.

REGULAÇÃO TÉRMICA Os répteis podem ganhar calor por: radiação direta, refletida, infra-vermelho, condução e contato direto Os répteis podem perder calor por: infravermelho, evaporação, convecção e condução

SISTEMA CIRCULATÓRIO Coração com 2 átrios e 1 ventrículo, septo intraventricular começa a surgir e é presente apenas nos crocodilianos, aves e mamíferos. O septo intraventricular promove uma circulação do tipo completa, isto é, em que o sangue venoso e arterial não se mistura.


SISTEMA DIGESTÓRIO Predadores, apresentam dentição variada mas a maioria é homodontia (dentes cônicos iguais). Os quelônios apresentam placa dentígea. Serpentes e lagartos apresentam língua bífida (não deglute, atua com órgão sensorial). Crocodilianos apresentam estômago glandular e muscular (moela).


SISTEMA EXCRETOR Rins metanéfricos, excretam ácido úrico (exceto crocodilianos que excretam amônia). Animais de água doce apresentam uma urina diluída e isotônica, enquanto que marinhos e terrestres liberal excesso de sais e retém água (urina sólida). A glândula de sal auxilia na liberação do excesso de sal e é presente em organismos marinhos e terrestres de ambientes desérticos. A reabsorção de água ocorre na bexiga urinária.


ÓRGÃOS DOS SENTIDOSAudição: serpentes não apresentam abertura timpânica (mas percebem vibrações muito bem), demais répteis apresentam; •Visão: olho recoberto por uma membrana que sofre muda (ficando opaco); •Olfato: extremamente desenvolvido, os que apresentam língua bífida tem os órgãos de Jacobson (língua atua captando partículas e levando para o órgão). Canal nasal presente. Família Viperidae (cascavel) desenvolveu fosseta loreal (órgão termorreceptor que localiza fontes térmicas). Já o grupo das jibóias apresenta fossetas labiais (percepção térmica).


GLÂNDULAS DE VENENO Glândula salivar modificada que libera substância peptídica para predação (imobilizar ou matar) e defesa.


DENTIÇÃO •Áglifos: não apresentam dentes especializados para inocular veneno (não tem veneno); •Opistóglifos: dente na maxila superior (posterior) para inocular veneno (sulco percorre o dente); •Proteróglifos: dente na região anterior da maxila, dente sulcado; •Solenóglifos: canal dentro do dente;


SISTEMA REPRODUTOR Fecundação interna, ovo grande (muito vitelo), ovíparos ou vivíparos (serpentes), órgão copulatório (hemipênis: serpentes e lagartos/pseudopênis: quelônios e crocodilianos) com espinho para fixar na cloaca/poro genital feminino, nidificação. Determinação do sexo determinada por temperatura corporal (crocodilianos e quelônios). Alto calor no ovo – fêmea de quelônio/ macho de crocodiliano Baixo calor no ovo – macho de quelônio/ fêmea de crocodiliano

Referência: Aulas do Professor de Zoologia dos Vertebrados Anamniotas da Universidade de Taubaté: Itamar Martins.

0 visualização
Siga o Bertobio!
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Instagram - White Circle

Nos encontre também no Instagram!

@biologiaparaavida
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco