Mulheres na ciência

Atualizado: Jul 14

Uma das dificuldades que ainda encontramos na ciência é o fato de ser uma área extremamente masculina: não por termos mais cientistas homens ou pelas maiores descobertas serem masculinas, e sim por não falarmos nas cientistas mulheres que, assim como os homens, alcançaram grandes feitos e contribuíram muito para nosso conhecimento atual. Então, para comemorar o “Dia das Mulheres” resolvi trazer 5 grandes mulheres, grandes cientistas!


Primeiramente, quero deixar claro que foi extremamente difícil escolher apenas 5, tendo em vista que temos MUITAS! Mas enfim, ressalvas a parte, vamos lá!


MARIE CURIE (1867-1934) Marie Curie é conhecida por suas pesquisas (e inclusive, por ser pioneira) sobre radiotividade! Foi ela quem descobriu e conseguiu isolar isótopos dos elementos polônio e rádio. E com tanta descoberta não caberia menos: foi a primeira mulher a ganhar um Nobel e a primeira pessoa a receber 2 vezes o prêmio (química e física). Por fim, vale citar que Curie foi professora na Universidade de Paris (sortudos aqueles que tiveram essa cientista como professora, hein?!)


ROSALIND FRANKLIN (1920-1958) Impossível vocês lerem um post sobre grandes cientistas nesse site de biologia e achar que eu não citaria quem foi responsável por concretizar a descoberta da estrutura do DNA! Franklin, através de técnicas de cristalografia de raios-X, conseguiu criar imagens de raio-X da famosa molécula. Porém, infelizmente, a cientista faleceu de câncer no ovário (provavelmente, por conta da sua exposição à radiação para desenvolver seus estudos) e não foi premiada.


VIRGINIA APGAR (1909-1974) Para alguns, o sobrenome “Apgar” deve ser minimamente familiar por conta de um exame realizado em recém-nascidos (que diminuiu muito a taxa de mortalidade infantil!), denominado “Escala de Apgar” que, justamente foi criado por Virginia. Médica formada em Nova York, ela foi uma grande especialista em anestesia e desenvolveu pesquisar sobre os efeitos negativos que algumas substâncias anestésicas podem causar no bebê. Felizmente, Apgar também foi professora e conseguiu compartilhar muito de seus conhecimentos com diversos alunos.


JOHANNA DÖBEREINER (1924-2000) Döbereiner, agrônoma que desenvolveu diversos estudos sobre fixação biológica do nitrogênio em leguminosas tropicais, auxiliou muito o Brasil a se tornar um grande produtor de soja. Dessa forma, a cientista indiretamente fez com que mais pessoas tivessem acesso à alimentos com valores mais acessíveis. Seu estudo foi tão importante que foi indicado ao Nobel da Química (1997)!


GERTRUDE BELL ELION (1918-1999) Farmacologista e bioquímica, essa cientista foi fundamental para a criação de medicamentos que suavizam os sintomas de AIDS, leucemia e herpes. Sendo que, o medicamento para AIDS, posteriormente desenvolvido, foi indicado e ganhou o Prêmio Nobel de Medicina (1988).


Bom, chegamos ao fim do post mas queria antes de realmente me despedir deixar um recado aqui para todas as mulheres, independente de área de estudo, idade, pretensão: vocês são incríveis, vocês já são grandes cientistas somente pelo fato de terem coragem de começar! Qualquer estudo é um grande marco, uma grande contribuição para a ciência. Parabéns, por tudo mesmo!


Referências:

Revista Galileu – 10 grandes mulheres da Ciência Biologia Total – 10 mulheres da Ciência que você precisa conhecer

0 visualização
Siga o Bertobio!
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Instagram - White Circle

Nos encontre também no Instagram!

@biologiaparaavida
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco