Monocotiledônea X Eudicotiledônea

Oi biologuínhos, tudo bem? Nesse post abordaremos um assunto que eu A-M-O que é a botânica, focando nas nossas queridas Angiospermas. Para relembrá-los, esse grupo representa o que temos de mais complexo na botânica, envolvendo plantas com vasos condutores, sementes, flores e frutos. As Angiospermas são comumente separadas em Monocotiledôneas e Eudicotiledôneas (ou simplesmente, Dicotiledôneas) e, se vocês perceberem, temos a terminação igual para ambas palavras: cotiledônea. Essa terminação nos remete ao cotilédone, mas o que será o cotilédone?


COTILÉDONE

Representam o primeiro par de folhas, ainda embrionárias, que surgem nas espermatófitas. Podem se apresentar em 1 ou 2, classificando as monocotiledôneas (1 cotilédone) e as eudicotiledôneas (2 cotilédones).


MONOCOTILEDÔNEAS

Como já dito anteriormente, as monocotiledôneas apresentam 1 cotilédone, enquanto ainda são consideradas um embrião. Mas além dessa característica, existem outras que são necessárias para identificarmos uma planta desse tipo, tais como:


Presença de raízes fascículadas: raízes finas que tem origem em um mesmo ponto;

Folhas com nervuras paralelas, chamadas de "paralelinérveas";


Flores trímeras: peças florais em 3 ou números múltiplos de 3;


Caule com vasos condutores de seiva espalhados;

EUDICOTILEDÔNEAS

Diferentemente das monocotiledônea, esse grupo apresenta 2 cotilédones em sua fase embrionária. Além disso, são caracterizadas por:


Presença de raízes pivotantes: uma raiz principal, da qual surgem ramificações;

Folhas com nervuras ramificadas, chamada "peninérveas";

Flores pentâmeras ou tetrâmeras: peças florais em 4 ou 5, ou múltiplos desses números;


Caule com vasos condutores de seiva dispostos na periferia;






20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo