Fundamentos de Biologia Marinha: Introdução

Atualizado: Jul 14

O estudo do ambiente marinho leva em consideração diversas áreas de conhecimento, tais como a geologia (sedimentos e cronologia), química (composição da água), física (dinâmica dos mares) e a biologia (organismos e o ambiente). O ambiente marinho, também chamado de halóbios, gera e guarda muita energia.


A vida é um fenômeno marinho de superfície e esse ambiente comporta o maior número de filos animais, fato que tem relação com o grau de estabilidade do ambiente (a favor da diversificação/especiação).


Os oceanos representam o maior reservatório de carbono e fonte de água para continentes.


COMO O CALOR INFLUENCIA NO AMBIENTE MARINHO?

  • Sol é a maior fonte de calor;

  • Ambiente marinho armazena muito calor por meio de correntes de transportam;

  • Influencia o clima diretamente;

  • Quanto menor a latitude do local, mais calor absorve (maior a média de temperatura);

  • Temperatura vaia em escala espaço-temporal;

  • Variação térmica atua como filtro ecológico (seleciona);

  • Animais euritérmicos: podem explorar recursos em diversos locais;

  • Animais estenotérmicos: restritos, competidor dominante da região em que vive (especializado);

  • A eficiência competitiva dos animais atua como modelador (animais gastam muita energia para se manter);

  • A água quente tende a descer, enquanto que a água fria (do fundo) tende a subir (área de ressurgência);

  • Calor é acelerador de reações, os animais se reproduzem mais rapidamente (ciclo de vida, consequentemente, é mais curto) e a especiação ocorre de maneira mais intensa;


COMO A SALINIDADE INFLUENCIA NO AMBIENTE MARINHO?

  • Nível de salinidade varia no tempo e no espaço;

  • Oceano Atlântico apresenta cerca de 35g de cloreto de sódio (NaCl) por litro de água;

  • Atua diretamente na regulação osmótica de animais;

  • Animais eurihialinos: podem aturar diferenças consideráveis de salinidade (generalistas);

  • Animais estenohialinos: especialistas, limitados à determinada concentração de sal;

  • Teoria erosiva: acredita que o sal seja proveniente da dissolução de rochas;

  • Estudos com sondas em fossas hidrotermais concluíram que as mesmas são processos vulcânicos e que a água pura proveniente delas tem a mesma concentração de sal que a água marinha;

  • Teoria do vulcanismo: assume o vulcanismo como principal depósito de sal nos oceanos;

  • Vida surgiu no ambiente marinho pois sais são essenciais;


COMO A ACIDEZ INFLUENCIA NO AMBIENTE MARINHO?

  • Processo de acidez é recente/antropogênico;

  • Água do mar recolhe dióxido de carbono (gás do efeito estufa);

  • O dióxido de carbono reage com a água, formando o ácido carbônico. Quando o ácido carbônico é quebrado, libera íons H+ e bicarbonato. O bicarbonato se precipita e o H+ acidifica o meio, fazendo com que estruturas fiquem mais fracas nessas condições;


COMO A PRESSÃO INFLUENCIA NO AMBIENTE MARINHO?

  • Nível do mar = 1 atm;

  • Variação uniforme;

  • A cada 10m de profundidade, soma-se 1 atm;

  • Compressão aumenta de acordo com a profundidade;

  • Deslocamento vertical de organismos é limitado;

  • Eribáticos: organismos generalistas;

  • Estenobáticos: organismos especialistas;


COMO O OXIGÊNIO INFLUENCIA NO AMBIENTE MARINHO?

  1. Processos de adição: troca de gases com a atmosfera, fotossíntese (fitoplâncton – ambiente marinho tem a maior capacidade de produção de oxigênio);

  2. Processos de subtração: respiração e biodegradação (oxidação – bactérias);

  3. Maré vermelha: abrupta queda da disponibilidade de oxigênio na água (desbalanço na adição e subtração), bactérias e protozoários se degradam e liberam pigmentos (risco à saúde);

  4. Demanda química de oxigênio (D.Q.O): todo oxigênio da água;

  5. Demanda bioquímica de oxigêncio (D.B.O): disponibilidade de oxigênio;

  6. Anôxia: sem oxigênio em D.B.O;


COMO A LUZ INFLUENCIA NO AMBIENTE MARINHO?

  1. É decomposta ao atravessar a água (coloração dos organismos marinhos reflete a luz);

  2. Maiores comprimentos de onda são azul e verde (coloração da água);

  3. Essencial para a fotossíntese (base da cadeia trófica);

  4. Luz pode atuar na predação ou na fuga de organismos;


REGIÕES DO AMBIENTE MARINHO: Bentônico: fundo; Pelágico: colunad’água; Demeral: área de transição;

Zona nerítica: camada d’água que está sob a camada continental, maior riqueza biológica (fotossíntese);

Zona oceânica: entre continentes (até 11 mil metros) -Supralitoral: acima da maré alta -Sublitoral: abaixo da maré baixa -Mesolitoral: região entre marés


OCEANO PACÍFICO

  • Oceano mais antigo (o que sobrou do superoceano);

  • Muitas espécies, menor competição e maior energia;

  • Maior atividade vulcânica (nutrientes para a fotossíntese – N,P,K);

  • Hotspot/Centro de dispersão biológica;


OCEANO ÍNDICO

  • Menor dos oceanos em latitude;

  • Idade intermediária;

  • Centro de dispersão;


OCEANO ATLÂNTICO

  • Resultado da deriva continental (recente);

  • Menor riqueza biológica;

  • Menor oceano em longitude;

  • Maiores rios desembocam nele;

  • Biota em formação;

Referências:

LEVINTON, Jeffrey S.. Marine Biology: Function, Biodiversity, Ecology. New York: Oxford University Press, 1995.

Aulas do Professor Valter José Cobo- Universidade de Taubaté

2 visualizações
Siga o Bertobio!
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Instagram - White Circle

Nos encontre também no Instagram!

@biologiaparaavida
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco