Fisiologia Animal: Fundamentos básicos

Oi biologuínhos, tudo bem? Hoje iniciamos mais uma disciplina universitária por aqui e que, inclusive, foi muito esperada por mim. Apesar do conteúdo ser bem pesado, estou adorando e espero conseguir ajudar vocês no estudo dessa matéria. Nesse primeiro post, como de todas as matérias, falaremos sobre conceitos que servirão de base para o entendimento de muitos processos em posts que ainda virão.


O primeiro ponto que temos que entender é que os efeitos fisiológicos ocorre a nível celular e, quando falamos em célula, temos que levar em consideração que o líquido extracelular tem altas concentrações de potássio (K), magnésio (Mg) e fósforo (P) e que o líquido intracelular apresenta altas concentrações de sódio (Na), cloro (Cl) e bicarbonato (HCO3). A homeostasia fisiológica é o equilíbrio dinâmico para manter o bom funcionamento do organismo que é alcançado através de bombas ativas.


Ainda falando em células, precisamos recordar que a membrana plasmática é constituída por uma bicamada fosfolipídica com proteínas móveis. Para o transporte, existem proteínas-canal (livre passagem de íons e água) e proteínas carreadoras (seletivas quanto ao tamanho e concentração das substâncias). O transporte de substâncias podem ocorrer de forma passiva (sem gasto energético), por difusão simples (água (aquaporina) e ácidos graxos de baixo peso molecular), canal iônico (diâmetro do canal determina qual íon/molécula vai entrar) ou proteínas transportadoras (substâncias de maior peso molecular, como aminoácidos), quanto de forma ativa (contra o gradiente de concentração, gasta energia e ocorre via proteína transportadora), por uniporte (1 substância por vez), simporte ( 2 substâncias no mesmo sentido) ou antiporte (2 substâncias em sentidos opostos).


A difusão de substâncias precisa ser controlada para que não promova o equilíbrio, nosso corpo precisa das diferenças de concentração para continuar funcionando. Esse controle pode ocorrer via tamanho da molécula ou via "gate" que são canais que só abrem quando estimulados por voltagem ou substância. Um dos processos ativos que promove a homeostasia fisiológica que citamos anteriormente é a bomba de sódio e potássio.




Existem dois tipos de feedbacks, o positivo e o negativo. No feedback negativo, temos um controle direto em que um distúrbio gera resposta controladora. Em nosso corpo, a maioria dos processos envolvem esse feedback negativo, e um muito clássico é a hiperglicemia fisiológica, em que o açúcar atua como o distúrbio e a insulina, como resposta controladora. Já no feedback positivo ocorre um ciclo vicioso que só se rompe mediante à mudanças bruscas. Um exemplo básico é a menstruação, em que há uma queda brusca de progesterona, fazendo com que a mulher menstrue.


ADAPTAÇÃO, ACLIMATAÇÃO E ACLIMATIZAÇÃO: TEM DIFERENÇA?

Esses 3 termos muitas vezes são vistos como palavras que possuem o mesmo significado, mas estamos errados ao acreditar nisso.

Adaptação altera o organismo lentamente e tem como um dos tópicos principais a Seleção Natural, sendo considerada efetiva quando presente em alta frequência populacional, garantindo a sobrevivência.

Já a aclimatação é uma mudança fisiológica, bioquímica ou anatômica induzida (em laboratório).

Por fim, a aclimatização é uma mudança fisiológica, bioquímica ou anatômica que ocorre por fatores naturais.




Referência:

• Aula da professora Marília Hidalgo na disciplina de Fisiologia Animal - Universidade de Taubaté

18 visualizações
Siga o Bertobio!
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Instagram - White Circle

Nos encontre também no Instagram!

@biologiaparaavida
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco