Ecologia de Comunidades: Conceitos iniciais + Estrutura + Espaço + Tempo

Comunidade é um conjunto de populações que vivem num mesmo local num determinado período de tempo.

Composição de espécies: quais espécies estão presentes na área Riqueza: número de espécies Abundância: quantidade de indivíduos de uma espécie Abundância relativa: porcentagem de características entre indivíduos de uma espécie Diversidade: índice entre riqueza e abundância Espécies dominantes: espécie com muitos indivíduos, bom competidor •Uma comunidade homogenia é aquela que não apresenta dominância •Quanto maior a dominância, menor a homogeneidade •Quanto maior a homogeneidade, maior a diversidade •Muita dominância promove a exclusão competitiva •Pode-se analisar uma comunidade no espaço e no tempo (veremos adiante) •A comunidade sofre influencia de fatores abióticos e bióticos Espécie-chave: espécie de alta importância que, se for removida, altera toda a dinâmica (por exemplo, planta ou predador) Regulação top-down: regulação realizada por organismos dos níveis tróficos superiores (predadores) Regulação bottom-up: a alteração nos produtores da cadeia afeta todos os consumidores

ESTRUTURA DE COMUNIDADE

Como calcular abundância? 1- Somar indivíduos de determinada espécie 2- Dividir pelo número total de indivíduos da comunidade 3- Multiplicar por 100 para obter porcentagem 4- Organizar a abundância de acordo do mais comum para o mais raro (gráfico de colunas)

Índice de Simpson Diversidade: 1-D= 1- Σ (pi²) •Quanto mais próximo do 0, menor a diversidade •Quanto mais próximo de 1, maior a diversidade Recíproco: 1/D = 1/ Σ (pi²) •O valor 1 indica a máxima dominância

Índice de Shannon-Wiener H’= – Σ (pi).(Inpi) •Quanto mais próximo de 0, maior a dominância •0,9 indica que não há dominância (logo a homogeneidade é alta e a diversidade também)

Homogeneidade de Pielou J= H’/H’ max = – Σ piLogpi/logS •O valor de 1 indica que não há dominância •O valor de 0 indica muita dominância (logo, baixa homogeneidade)

Coeficiente de Jaccard (similaridade entre as áreas) Sj= (a/a+b+c).100 Em que: a- número de espécies comuns à ambas áreas b- número de espécies da área 1 c- número de espécies da área 2

COMUNIDADE NO ESPAÇO Biomas: ambientes que apresentam fauna e flora específicos Ecótonos: área de transição (características de 2 biomas) •Quanto mais baixa a espécie no habitat, menos luz e umidade ela precisa; •Quanto mais alto o relevo, menor a diversidade (menor temperatura); Zonação: espécies que ocorrem em zonas/estratos diferentes (determinados fatores bióticos e abióticos) em um habitat •Diversidade em locais quentes e úmidos é maior

COMUNIDADE NO TEMPO Sucessão ecológica: contínua colonização e extinção de espécies em uma comunidade ao longo do tempo Quando há uma clareira na floresta, plantas pioneiras (gostam de luz, 1º estágio de sucessão) começam a colonizar o local, sendo seguidas das plantas do 2º estágio, que são maiores e gostam de sombra. Ambos estágios “morrem” e a clareira é fechada por plantas do 3º estágio que jogam suas sementes na abertura, promovendo o adensamento.

Fontes: -Aulas do Professor de Ecologia de Comunidades da Universidade de Taubaté (UNITAU): Julio Voltolini;

0 visualização
Siga o Bertobio!
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Instagram - White Circle

Nos encontre também no Instagram!

@biologiaparaavida
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco