Bronquite, rinite e sinusite: qual a diferença?

Oi biologuínhos, tudo bem? Todo mundo conhece alguém (ou é a pessoa) que tem rinite, bronquite, sinusite, né?! Essas doenças estão cada vez mais presentes em nossa sociedade, mas você sabe a diferença entre elas?


Todas apresentam uma questão em comum, sendo ela a terminação "ite" no nome que significa inflamação. Cada pessoa apresenta um fator capaz de desencadear essa inflamação que pode ocorrer em diversos locais, nas mucosas da face se for rinite, nos seios da face se for sinusite ou nos brônquios se for bronquite.


Já temos nosso post explicando o processo alérgico e inclusive conteúdos bem completos de imunologia que retratam essa resposta exagerada do nosso sistema imunológico, logo o post de hoje terá como foco dar informações para que vocês consigam compreender a diferença de sintomas e de locais atingidos por cada uma das doenças.


A rinite basicamente é gerada pela entrada de um agente invasor, promovendo o inchaço da mucosa e a coriza. Aliado à isso, temos também a presença de muita coceira que é extremamente incômoda para aqueles que apresentam esse tipo de reação alérgica. Atualmente existem diversos tratamentos para essa doença, desde os mais simples que envolvem sprays nasais de uso contínuo, até mesmo o uso de vacinas por anos para que o corpo não apresente essa resposta tão exagerada frente a agentes invasores.


Já a bronquite, como já falamos anteriormente, atinge os brônquios que são os tubos que conduzem o ar da traqueia até os alvéolos. Quando uma pessoa está em crise de brônquite, os brônquios ficam contraídos e cheios de secreção, dificultando a respiração da pessoa. É importante dizer que, além de fatores genéticos que predispõem um indivíduo à doença, temos que o tabagismo aumenta muito a chance de desenvolvimento da patologia.


Por fim, a sinusite tem como característica a inflamação dos seios faciais, causando fortes dores de cabeça, coriza espessa e febre, sintomas muito semelhantes com uma gripe mas muito (muito mesmo) mais intenso. O tratamento basicamente depende de antibióticos.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo