Bioquímica: Oxidação de lipídeos

Atualizado: Jul 13

A oxidação de lipídeos nos fornece muito mais ATP que a quebra da glicose no processo denominado glicólise. Ocorre na matriz mitocondrial e é dividida em 3 fases.

  1. Lipólise: geralmente ocorre em situação de jejum, exercício físico e estresse;

2. Ativação: o objetivo é levar a molécula até a matriz mitocondrial;

3β-Oxidação: 

SALDO ENERGÉTICO

O exemplo dado foi de um lipídeo de 16 carbonos, em que foram produzidos 7 FADH2 (que possui um valor energético de 1,5 ATP) e 7 NADH (que possui um valor energético de 2,5 ATP), 8 Acetil CoA (que, ao ir para o Ciclo de Krebs, produz 3 NADH, 1 FADH2 e 1 GTP). Ao somar tudo, deve-se sempre subtrair 2!

REGULAÇÃO

A insulina ativa o Malonil CoA, que por sua vez, inibe a carnitina acil transferase, parando todo o processo.


CORPOS CETÔNICOS

Quando não tem como utilizar ATP proveniente da glicose, o corpo começa a realizar lipólise. Se o fígado fizer muita β-Oxidação, aumenta os níveis de Acetil CoA e diminui os de CoA livre, parando o processo de β-Oxidação que depende do CoA livre. Logo, o Acetil CoA é convertido em acetona, acetoacetato ou β-hidroxibutirato. Os únicos que não usam essa forma de energia são: fígado e hemácia.

Referências:

Aulas da Professora de Bioquímica da Universidade de Taubaté (UNITAU): Mariana Feijó de Oliveira;

Nelson, David L.; COX, Michael M. Princípios de bioquímica de Lehninger. Porto Alegre: Artmed, 2011. 6. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

0 visualização
Siga o Bertobio!
  • Facebook - White Circle
  • YouTube - White Circle
  • Instagram - White Circle

Nos encontre também no Instagram!

@biologiaparaavida
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco